Brasileiros precisarão de autorização para viajar a países da União Europeia a partir de 2021

Sistema aprovado nesta quinta-feira pelo Parlamento Europeu vale para turistas de 62 nacionalidades

passaporte brasil
O Parlamento Europeu aprovou, nesta quinta-feira (5), um novo sistema de vistos de entrada para turistas na União Europeia. Com a mudança, que deve entrar em vigor em 2021, turistas não europeus isentos de visto, entre eles os brasileiros, terão de solicitar autorização na internet para visitar a Europa, a um custo individual de 7 euros (cerca de R$ 32).

O objetivo do Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (Etias – European Travel Information and Authorisation System, em inglês) é a segurança interna e o reforço das fronteiras externas da UE. O sistema deve contribuir para identificar e reduzir crimes e atos terroristas, além de impedir a migração irregular, diminuir tempos de procedimento de entrada nos países e melhorar a gestão das fronteiras.

A triagem servirá para identificar pessoas que possam representar risco antes que cheguem às fronteiras europeias. A expectativa é que o novo sistema não cause obstáculos para os viajantes comuns.

De acordo com o Parlamento Europeu, atualmente não há informação suficiente sobre os cidadãos de outros países que não precisam de visto para entrar na Europa, ficando o controle sob a responsabilidade de guardas de fronteiras, que muitas vezes não têm conhecimento sobre riscos de segurança, migratórios ou sanitários.

Como vai funcionar
Completamente eletrônico, o sistema é destinado a visitantes de países que não precisam de visto para a zona Schengen. Atualmente, cidadãos de 62 países não pertencentes ao espaço Schengen, inclusive do Brasil, podem entrar na UE sem visto por até 90 dias. Estima-se que 39 milhões de visitantes isentos de visto vão a países da Europa em 2020.

O sistema eletrônico vai recolher dados pessoais como o nome, o tipo de documento de viagem, os dados biométricos (uma combinação de quatro impressões digitais e a imagem facial) e data e local de entrada e de saída e possíveis recusas de entrada. Serão também feitas uma série de perguntas básicas relacionadas com os antecedentes criminais e a presença em zonas de conflito.

A autorização custará 7 euros e será válida durante três anos, sendo gratuita para quem tem menos de 18 ou mais de 70 anos. Além do uso para fins comerciais e de turismo, o novo sistema permitirá que as pessoas visitem os países da UE por motivos médicos e de trânsito.
Fonte: GauchaZH com Agência Brasil

Anúncios

Japão e Singapura têm agora os passaportes mais poderosos do mundo

O Henley Passport Index classifica todos os passaportes do mundo de acordo com o número de países que seus portadores podem visitar sem a necessidade de um visto

japan and singapore passport

Há poucas coisas mais libertadoras do que viajar – embora alguns passaportes ofereçam mais liberdade que outros.

Um novo relatório publicado em 28 de fevereiro de 2018 revela quantas fronteiras alguns documentos de viagem podem atravessar.

Há, diz o relatório, somente dois países cujos cidadãos desfrutam de acesso a 180 destinos sem a necessidade de um visto em todo o mundo e ambos estão na Ásia.

Japão e Singapura têm agora os passaportes mais poderosos do mundo, de acordo com a Henley Passport Index compilado pela empresa de assessoria e cidadania global Henley & Partners.

Ambos ultrapassaram a Alemanha, que tem acesso livre a 179 países, e ficaram no topo da lista.

Isso se deve em parte à retirada da exigência de visto do Uzbequistão para cidadãos do Japão e de Singapura no início de fevereiro. Ano passado, o Paraguai também removeu tais exigências para portadores de passaportes de Singapura.

“Esses dois países em particular são identificados como potências comerciais de paz, com seus cidadãos interessados primariamente em negócios e atividades de investimentos” disse Parag Khanna, membro sênior do Centro sobre a Ásia e Globalização da Universidade Nacional de Singapura.

A Coreia do Sul ficou em terceiro lugar no ranking, juntamente com a Dinamarca, Finlândia, França, Itália, Espanha e Suécia. Os portadores de passaportes desses países têm acesso a 178 destinos sem a necessidade de visto.

O Brasil ficou em 17º lugar. Os portadores de passaporte brasileiro podem visitar 160 países sem a necessidade de visto.

Henley Passport Index
O Henley Passport Index é um indicador de todos os passaportes do mundo de acordo com o número de países que seus portadores podem visitar sem a necessidade de um visto.

O indicador tem base em dados exclusivos da AITA – Associação Internacional de Transporte Aéreo, a qual mantém a maior e mais precisa base de dados sobre informações de viagens e é aprimorada por extensiva pesquisa in-house.

Ele é atualizado em tempo real e quando alterações em relação à políticas de visto entram em vigor.
Fonte: Portal Mie com CNN, Henley & Passport Index

Brasileiros poderão viajar para o Canadá sem visto a partir de maio de 2017

canada-visto

O Governo do Canadá anunciou hoje sua intenção de não exigir obrigatoriedade de visto para alguns brasileiros a parir de maio de 2017. Segundo o projeto, os brasileiros que tiveram visto de residente temporário do Canadá nos últimos 10 anos ou que possuem um visto válido de não-imigrante (turismo, negócios, trabalho temporário, estudo ou tratamento médico) dos Estados Unidos, já não precisariam de um visto para viajar ao Canadá ou, quando em trânsito, ao viajar de avião. Em vez disso, eles teriam a opção de solicitar uma Autorização Eletrônica de Viagem (Electronic Travel Authorization – eTA). Aqueles que não se enquadrem nestes critérios ainda precisariam solicitar um visto de visitante para viajar ao Canadá.

“O Canadá é um dos destinos preferidos de visitantes e empresários brasileiros, e expandir a elegibilidade da eTA tornaria mais fácil e rápido para muitos brasileiros virem ao Canadá”, afirmou Rick Savone, o Embaixador do Canadá no Brasil. “A facilidade para viajar entre nossos dois países se traduzirá em mais oportunidades para fortalecer nossos laços interpessoais, turísticos e de negócios.”

Para solicitar a eTA é necessário pagar uma taxa de C$ 7,00 (sete dólares canadenses) e preencher um formulário. A eTA está eletronicamente conectada ao passaporte do viajante e é válida por cinco anos ou até que o passaporte expire, o que ocorrer primeiro.

Os viajantes brasileiros que não sejam elegíveis ao eTA ainda precisariam solicitar um visto de visitante ou usar os serviços de um dos Centros de Solicitação de Vistos em São Paulo, Rio de Janeiro ou Brasília.
Fonte: Mercado e Eventos

Canadá deixará de exigir visto de turista para brasileiros a partir de 2016

Viajantes terão de preencher uma espécie de autorização eletrônica de viagem e precisam atender alguns requisitos

canada-moraine-lakeA partir de março de 2016, brasileiros que viajarem para o Canadá não precisarão mais do visto para entrar no país. A liberação da exigência, semelhante a que existe nos Estados Unidos, foi anunciada nesta sexta-feira, 16, no site do governo canadense.

A medida vale apenas para viagens aéreas e atingem também moradores do México, Bulgária e Romênia. Com isso, o viajante deixará de desembolsar cerca de 100 dólares canadenses (R$ 297,14) para tirar o visto, além de mais 30 dólares canadenses (r$ 89,14) de taxa.

Por outro lado, o governo do Canadá pretende ampliar o uso do ETA (Autorização de Viagem eletrônica na sigla em inglês), ainda obrigatório para todos os turistas – por questões de segurança, justificam. Para inscrever-se, basta entrar em cic.gc.ca/english/visit/eta-start.asp.
Fonte: Estado de Minas

Todos os detalhes do novo passaporte brasileiro

novo-passaporte-brasileiroNesta sexta-feira, a Polícia Federal e a Casa da Moeda lançaram a nova versão do passaporte brasileiro, que terá um prazo de validade maior e quase o dobro do preço.

O modelo que foi apresentado hoje já está sendo emitido para quem entrou com o pedido de novas expedições e renovação do passaporte desde a última segunda, 6 de julho.

Para quem ainda tem a versão antiga, o documento continua valendo até o fim do prazo de validade.

Veja o que muda no novo modelo:

O prazo de validade
O novo passaporte passa a valer por dez anos; o prazo de validade do modelo anterior expirava em cinco anos.

O preço
O valor para adquirir o novo modelo é de R$ 257,25 – 100 reais mais caro do que a versão antiga

A capa
A versão ganhou um layout com cinco estrelas representando a constelação do Cruzeiro do Sul e a inscrição "Passaporte Mercosul".

A tecnologia de segurança

Foi adotado um novo padrão de criptografia que, segundo a Polícia Federal, garante mais segurança aos dados gravados no chip.

Novo Passaporte do Brasil

Fonte: Exame

Governo amplia de 5 para 10 anos validade de passaportes

dezembro 16, 2014 2 comentários

Brazilian Passport
O governo federal ampliou, de cinco para dez anos, o prazo de validade dos passaportes diplomático, oficial e comum, e da carteira de matrícula consular.

A mudança consta de decreto publicado no Diário Oficial da União que modifica as regras para expedição dos documentos.

Entre várias outras mudanças, os passaportes comum, para estrangeiro e de emergência passarão a ser expedidos, no exterior, apenas pelas repartições consulares.

As missões diplomáticas, que também tinham essa atribuição, foram excluídas no novo texto.

O decreto ainda traz alterações no regulamento sobre a estada de estrangeiros no País.
Fonte: Exame

Polícia Federal poderá deixar de emitir passaportes

De acordo com o Ministério da Justiça, Itamaraty será procurado para acumular a função. Ainda não há posicionamento oficial sobre a alteração

Passaporte brasileiroO Ministério da Justiça e a Polícia Federal analisam a possibilidade da polícia não ser mais responsável pela emissão de passaportes. Os dois órgãos estudam transferir a função ao Itamaraty.

A ideia da Justiça é manter a PF como polícia judiciária e voltada para investigações. Numa espécie de restruturação, atividades administrativas devem sair do âmbito da instituição. "A PF deve deixar cada vez mais as funções administrativas com outros órgãos", afirmou o ministro José Eduardo Cardozo ao jornal Valor Econômico.

A direção-geral da PF apoia a medida. A avaliação interna de delegados e agentes é de que a atividade, além de burocrática, não tem relação com o propósito da atividade policial. A PF alega que, como o passaporte é seguro e difícil de ser falsificado, não há necessidade de ser expedido pelo órgão. A instituição ficaria apenas com o controle das informações sobre passaportes, para efeito de registro de entrada e saída de pessoas do país e realização de investigações.

Para que a medida seja efetiva é necessário confirmar a transferência das emissões de passaportes para outra pasta do governo e a tendência é a de que o Ministério das Relações Exteriores seja procurado para absorver essa tarefa. Procurado, o Itamaraty informou que não há entendimentos para que o órgão se torne responsável pelo procedimento e que ainda não vai se pronunciar sobre a possível transferência de função. No Brasil, apenas passaportes diplomáticos e oficiais são emitidos pela Pasta.

A PF alega que o serviço atualmente é 90% terceirizado nos Estados e poderia ser transferido para outro órgão administrativo. A sucursal de São Paulo emite, em média, três mil passaportes por dia. Mesmo assim, o sistema é ineficaz. Com frequência há falhas nas emissões de passaportes. 
Fonte: Veja

%d blogueiros gostam disto: